Candidatos diferentes, mas prefeitos iguais

Partidos e candidatos têm propostas, personalidades e alianças diferentes, por isso competem. Mas candidato diferente não assegura prefeito diferente.

O desencanto dos eleitores, jovens principalmente, é pelo que fazem de igual ao chegarem ao poder. O que fazem de igual nem sempre é visível. Continue lendo

Foro especial deve ser extinto?

Nada tem mais força do que uma ideia cujo tempo chegou. Mensalão e Lava-jato demonstraram que chegaram hora e vez de eliminar ou reduzir o foro privilegiado.

O atual modelo não funciona. Até o Mensalão não havia político responsabilizado em definitivo pelo Supremo Tribunal Federal por eventuais atos incorretos. Hoje, leva-se tempo. Segundo dados do Supremo em números, da FGV Direito Rio, são necessários mais de 1.200 dias para julgar ações penais contra quem detém foro privilegiado. A tentativa do STF de agilizar, transferindo para turmas, não funcionou. Os 1.396 dias de 2014 aumentaram para 1.536 em 2015.

Continue lendo

Essa Menina

“Eitcha, que essa menina nasceu uma coisinha de nada, magrinha, feinha, uma titica de gente, só pele e osso, meio branca, meio preta, meio índia… De tanto ouvi-lo referir-se a mim como “essa menina”, deduzi que esse era meu nome”.

Não era. Mas foi.

“Essa Menina” é o nome de um romance, quase uma biografia. Mas não é a biografia de uma pessoa. É biografia de caráter sociológico, diria Gilberto Freyre. Com sua incrível capacidade de sincretismos. Mas uma biografia sociológica de quem? De quando? Continue lendo

Parente pode ser candidato?

Poder, pode. A Constituição só proibiu o nepotismo no Poder Executivo. Por exemplo, filho ou sobrinho de presidente, prefeito ou governador não pode se candidatar à vaga do pai ou tio. Não proibiu no Poder Legislativo. Nem o chamado nepotismo cruzado, em que um parente no Executivo auxilia outro no Legislativo. E vice-versa.

Aqui no Rio nós temos o deputado federal Jair Bolsonaro, que tem filho vereador, filho deputado estadual e filho deputado federal — este candidato à prefeitura. A família Picciani tem deputado federal, agora ministro, e deputados estaduais. Isto existe em quase todos os estados. Continue lendo